. Entenda quais as principais diferenças entre chefe e líder | Marcos Tito
  • Fortaleza: (85) 3108 8001

Entenda quais as principais diferenças entre chefe e líder

Embora a redução de cargos intermediários entre os gestores e quem executa as tarefas seja cada vez mais comum, a função de comando ainda é essencial no mundo corporativo. Muito mais do que chefes, as empresas buscam profissionais com potencial para liderança. Mas você sabe quais são as principais diferenças entre chefe e líder?

As duas figuras se confundem no comando das equipes e, em muitos casos, a diferença é sutil. Ser um líder significa muito mais do que simplesmente chefiar uma equipe.

O chefe tradicional estabelece tarefas e responsabilidades, cobra resultados e penaliza os colaboradores por eventuais falhas. Já o líder é capaz de direcionar e motivar os colaboradores. Essa postura está sendo mais valorizada no mundo corporativo.

As empresas já entenderam que não basta chefiar, é necessário também saber inspirar a equipe. Continue lendo este post para entender o que é uma liderança de sucesso.

Deixe as antigas práticas de lado

No passado, era comum ver empresas em que o chefe assumia uma posição de distância em relação aos demais profissionais.

O chefe assumia a típica figura do superior ou, em outras palavras, da pessoa que se colocava em posição de superioridade em relação às demais. Não era um membro da equipe, mas sim alguém que cobrava resultados, centralizava o poder, punia erros e baseava seu trabalho na imposição da autoridade.

Hoje, com a modernização das relações trabalhistas e o enxugamento das empresas, a função de chefia se aproximou dos demais cargos. Em empresas menores, com menos funções, o chefe não pode (e nem deve) ser uma pessoa distante.

Entretanto, muitos profissionais ainda mantêm a postura autoritária e não se aproximam dos subordinados. Será que é isso que as empresas estão buscando quando contratam alguém para assumir uma posição de comando?

Claro que não! Essa visão antiga de chefia não contribui para a motivação dos profissionais, ao contrário, gera tensão no ambiente de trabalho e cria a sensação de que o chefe é, na verdade, um inimigo.

Não há nada pior do que o funcionário acreditar que quem comanda a empresa está do outro lado da mesa. Afinal, para o bom resultado dos negócios, a equipe tem que trabalhar de forma harmônica, dividindo responsabilidades e almejando os mesmos objetivos.

Por isso, a liderança precisa mudar. Os funcionários devem perceber que a pessoa no comando está comprometida com os mesmos resultados e empenhada para que a equipe desenvolva todo seu potencial.

Logo, o chefe do passado, distante e preocupado em controlar os funcionários, não tem mais espaço no mundo corporativo atual.

Conheça as diferenças entre chefe e líder

Se você tem um cargo de comando em sua empresa, vale a pena entender melhor as diferenças entre ser um chefe e ser um líder.

Perfil do chefe:

Perfil do líder:

Certamente existem outras características que podem ser atribuídas a um ou outro perfil, além de casos em que o profissional possui certas qualidades de um líder, mas ainda mantém comportamento que lembra a postura engessada de um chefe.

Para assumir o papel de um líder de sucesso é importante equilibrar as duas funções e, principalmente, ter a sabedoria necessária para manter a equipe motivada e comprometida.

Saiba como ser um bom líder para sua equipe

Para liderar com segurança, é importante conhecer os detalhes do negócio. Isso quer dizer que é preciso saber não apenas executar as funções que serão delegadas à sua equipe, mas também as principais dificuldades que surgirão no caminho e as melhores maneiras de solucionar os problemas nas etapas de cada processo.

O líder deve motivar a equipe, mostrando os benefícios do desenvolvimento adequado dos projetos e as vantagens que a empresa, ou todo o grupo, terá ao alcançar os objetivos propostos. Ao estabelecer metas, o líder precisa considerar as capacidades individuais, atribuindo cada ação ao profissional mais qualificado para execução.

Ao mesmo tempo, é sua responsabilidade motivar os demais profissionais para a atuação em parceria, em prol de melhores resultados. Um líder bem-sucedido tem capacidade para identificar os talentos de seus colaboradores e sabe orientar os demais parceiros para que desenvolvam suas aptidões.

Quem assume a liderança deve ter como meta atingir os resultados propostos pela corporação, equilibrando com sabedoria o perfil da figura do antigo chefe com o do líder atual, ou seja, é preciso ter autoridade para comandar a equipe, mas saber que ela é muito diferente do comportamento autoritário. A autoridade se baseia em conhecimento, segurança e capacidade de direcionamento.

Além de tudo isso, uma característica essencial a um gestor de sucesso é a habilidade para comunicação. Profissionais bem-sucedidos em cargos de liderança precisam saber falar a língua dos demais elos que atuam na empresa. É necessário identificar quem é o seu funcionário ou prestador de serviços, quais suas dificuldades, necessidades e ambições.

O funcionário é, antes de tudo, um parceiro de um líder de sucesso. Por isso, é importante saber selecionar e treinar adequadamente a equipe de colaboradores, além de motivar e reconhecer as conquistas de cada um.

Sem esse cuidado, surge um problema muito comum nas corporações atuais, o intenso turnover ou rotatividade dos funcionários. Ninguém quer ter o custo de recrutar, selecionar, treinar e contratar um profissional para, logo em seguida, precisar dispensá-lo e reiniciar o processo.

A figura do líder é essencial para isso, pois somente uma pessoa com essa experiência conseguirá estabelecer os critérios ideais para seleção e, uma vez escolhido o profissional, saber capacitá-lo e garantir seu desenvolvimento dentro da empresa.

Compreender as diferenças entre chefe e líder é primordial para alinhar seu desempenho às expectativas da sua empresa e às demandas atuais do mundo corporativo. Ao assumir a postura de líder, você ficará mais próximo da equipe, será mais respeitado e poderá contar sempre com a colaboração dos seus parceiros, e não mais subordinados.

Gostou do post? Quer receber mais conteúdos como esse e ficar por dentro daquilo que o mercado corporativo espera de profissionais capacitados como você? Então, assine nossa newslettter.