. Como fazer um planejamento estratégico? Confira! | Marcos Tito
  • Fortaleza: (85) 3108 8001

Como fazer um planejamento estratégico? Confira!

Saber como fazer um planejamento estratégico é essencial para realizar uma gestão eficiente. Ele funciona como uma bússola para o negócio, ajudando a identificar e explorar oportunidades, assim como superar as adversidades.

Desse modo, é possível ter uma identidade forte, conquistar objetivos que contribuam para o desenvolvimento da organização e lidar de forma construtiva com as transformações constantes do mercado.

Neste artigo, apresentaremos todas as informações necessárias para você entender a importância do planejamento estratégico e explicaremos detalhadamente como fazê-lo de forma correta. Leia aproveite!

1. O que é planejamento estratégico?

O planejamento estratégico é um guia que norteia as ações da empresa em diferentes cenários e ajuda na elaboração de um caminho entre o estado atual e os objetivos desejados para o futuro do negócio. Ele começa com um pensamento estratégico, no qual são consideradas questões como missão, visão, valores, identificação de oportunidades no mercado de atuação e definição de objetivos.

Com essas informações, é possível criar um diagnóstico que revela o estado atual da organização, quais são as suas metas e como traçar esse percurso da maneira mais sustentável. Assim, os esforços de todas as áreas da organização são direcionados de forma construtiva, permitindo que o trabalho dos envolvidos contribua para o sucesso do negócio.

2. Por que o planejamento é importante?

Em muitas organizações as decisões são tomadas visualizando apenas os resultados de curto prazo. Desse modo, a visão sobre as oportunidades presentes no mercado são ignoradas e os potenciais internos da empresa não são aproveitados, o que pode resultar em estagnação. 

Por isso, o planejamento estratégico é essencial para o sucesso do negócio. Com a definição de uma identidade clara e o levantamento de possibilidades, é viável definir metas de crescimento realistas e alcançar objetivos que elevem o desempenho e a relevância da marca no mercado.

3. Quais as vantagens para a empresa?

A realização do planejamento estratégico proporciona diversas vantagens para a organização que ajudam no seu desenvolvimento e, consequentemente, na obtenção de bons resultados. A seguir, apresentaremos as principais melhorias proporcionas por um bom planejamento. 

3.1. Melhora a comunicação interna

O planejamento estratégico permite que todos dentro da empresa, independentemente do cargo ocupado, estejam cientes sobre as premissas que norteiam as decisões da organização, os objetivos do negócio e as ações previstas para alcançá-los.

Desse modo, é estabelecida uma linguagem comum, na qual todos conseguem se comunicar de forma clara e trabalhar visando os mesmos resultados. Assim, são evitadas falhas na comunicação e os processos internos acontecem de forma eficiente.

3.2. Identifica oportunidades

O desenvolvimento de um bom planejamento estratégico proporciona um direcionamento, ajuda a empresa a mapear as características da concorrência e adotar práticas para se manter atualizada sobre as mudanças no mercado.

Como isso, são identificadas oportunidades que estão alinhadas com os objetivos desejados e que podem ser exploradas para levar o negócio a um novo patamar.

3.3. Auxilia na detecção de ameaças

Assim como as oportunidades, as ameaças também são detectadas com a ajuda do planejamento. Alterações em padrões de consumo, novas marcas disputando o mesmo mercado ou inovações que afetam a aceitação de produtos e serviços da empresa podem ser descobertas com antecedência.

Dessa forma, é possível reavaliar as ações previstas e realizar as alterações necessárias, como o estabelecimento de novas metas, prazos e investimentos, para que as dificuldades previstas não abalem o negócio ou, ainda, de forma a minimizar os prejuízos. 

3.4. Direciona os investimentos

Com a definição de objetivos claros para o futuro da empresa, a identificação de oportunidades e a descoberta precoce das ameaças, os investimentos podem ser feitos de maneira inteligente. Assim, são priorizadas as questões mais relevantes para a manutenção e evolução do negócio.

Ademais, os gastos impulsivos ou baseados apenas em instintos são evitados, ajudando a impedir o desperdício de dinheiro e a manter as finanças da organização controladas.

3.5. Ajuda a lidar com as mudanças do mercado

As inovações constantes, instabilidades econômicas e alterações nos padrões de consumo tornam quase todos os mercados inconstantes, fazendo com que muitos negócios não consigam se adaptar e sobreviver.

O planejamento estratégico contribui para a criação de subsídios e seguranças que facilitam a mudança dos rumos quando necessário, ajudando a construir uma empresa sólida e em constante evolução.

3.6. Favorece a tomada de decisão

A tomada decisão é um fator crucial para o sucesso do negócio. Quando os gestores conseguem acertar nas suas escolhas, a empresa cresce e conquista bons resultados. Entretanto, é praticamente impossível ser assertivo quando não existem bons direcionamentos e informações que ajudem nas definições.

Os fundamentos oferecidos pelo planejamento estratégico permitem ter orientações claras em relação ao que a empresa está buscando, bem como um conjunto de dados que proporciona suporte para que as decisões sejam tomadas de forma consciente e correta.

3.7. Contribui para o fortalecimento da organização

Os benefícios conquistados com o planejamento estratégico, como a boa comunicação interna, o reconhecimento de mudanças no mercado e decisões acertadas, fortalecem a organização. Com isso, o negócio se torna estável e capaz de se adequar aos mais variados cenários, possibilitando a superação dos desafios do mercado.

3.8. Proporciona vantagem competitiva

Uma empresa que cresce de forma sólida e tem estabilidade consegue ter uma visão ampla do mercado em que atua, aproveitar oportunidades, conquistar os melhores talentos, inovar e atrair clientes. Por isso, organizações com excelentes planejamentos estratégicos se diferenciam dos concorrentes que não investem nessa ferramenta ou a elaboram de forma incorreta.

3.9. Facilita o reconhecimento de potenciais e limitações

A realização do planejamento estratégico exige uma análise cuidadosa das condições do negócio, o que facilita o reconhecimento das principais capacidades e fraquezas. Dessa maneira, é possível estabelecer objetivos realistas e criar ações para explorar os pontos fortes e superar ou contornar as questões que podem atrapalhar o crescimento da empresa.

4. Como fazer um planejamento estratégico?

Os passos para fazer um planejamento estratégico são muito importante para a organização. Mas para eles serem eficientes, precisam ser elaborados da forma correta. Abaixo você encontra todas as etapas para a criação de um bom plano. 

4.1. Defina a identidade da empresa

A identidade organizacional é a base para a criação de uma planejamento estratégico coerente e sólido. Ela é formada por três fundamentos, são eles: missão, visão e valores. Saiba mais sobre cada um deles!

4.1.1. Missão

A missão da organização é a sua razão principal de existir, ou seja, o propósito da sua atuação. Ela deve servir como um guia para a finalidade das ações da empresa e visa assegurar o sucesso profissional e pessoal dos envolvidos nela. Ademais, é a missão que deve delimitar a área de atividade do negócio, assim como determinar quais são as oportunidades de expansão.

Uma boa declaração de missão tem que ter objetivos realistas, ser clara, concisa e convincente, a fim de que todos os envolvidos na entidade entendam o propósito do seu trabalho.

Para definir a missão organizacional, devem ser respondidas as seguintes questões:

4.1.2. Visão

A visão é o que a organização deseja para o futuro. Ela é a projeção de um cenário no qual se quer chegar e deve servir como um guia no direcionamento de estratégias, esforços e recursos para que o negócio tenha um crescimento sustentável e atinja o patamar almejado. Além disso, precisa ser ambiciosa, tirar a instituição da zona de conforto, motivar os colaboradores, dar sentido às mudanças e gerar ações.

Algumas indagações que contribuem para a elaboração da visão são:

4.1.3. Valores

Os valores precisam orientar as condutas da organização na realização da missão e na busca pela visão. São premissas essenciais e imutáveis que formam um conjunto de crenças e princípios que suportam todas as decisões e ações da empresa, direcionando o comportamento de todos os colaboradores e a relação com parceiros e clientes.

A definição deve estar de acordo com as singularidades do negócio, sem seguir modismos ou copiar outras entidades. A declaração pode ser concisa ou extensa, mas é preciso ter cuidado com a inclusão de muitos valores para não torná-la confusa e contraditória.

Algumas questões que podem auxiliar na determinação dos valores são:

4.2. Realize uma análise ambiental

A análise ambiental é uma das etapas mais importantes do planejamento estratégico. Consiste em uma investigação minuciosa do cenário interno e externo da organização. Uma das metodologias mais eficientes para realizá-la é a SWOT, que também é conhecida em português por FOFA.

Tendo sua criação creditada a Albert Humphrey, essa metodologia propõe o levantamento das forças, oportunidades, fraquezas e ameaças que podem afetar a empresa e a exposição das mesmas em uma matriz, facilitando a visualização e o cruzamento das informações. Confira os principais passos para realizar a SWOT!

4.2.1. Análise interna: forças e fraquezas

O foco da análise interna é identificar as forças e fraquezas do negócio. Para a avaliação ser eficiente, todos os processos internos da empresa devem considerados, assim como os efeitos das ações nos produtos desenvolvidos e nos serviços prestados. Os principais pontos que precisam de atenção são:

4.2.2. Análise externa: oportunidades e ameaças

A análise externa consiste na identificação de oportunidades e ameaças que estão do lado de fora da organização. São aspectos que não podem ser controlados, mas são decisivos para a tomada de decisão e o crescimento do negócio.

Nessa avaliação precisam ser consideradas diversos pontos que envolvem a situação da área de atuação e as condições econômicas do país em que a empresa está localizada, por exemplo. Alguns deles são:

4.2.3. Análise cruzada

Depois do levantamento das informações é preciso cruzá-las para definir ações estratégicas. As associações que podem ser feitas são:

4.3. Estabeleça objetivos estratégicos

Em qual lugar a empresa pode chegar? Em qual lugar ela deseja chegar? Essas são as principais perguntas que devem ser respondidas para estabelecer objetivos estratégicos. Por isso, o primeiro passo, é considerar as informações levantadas na análise ambiental e saber as condições do negócio.

Assim, é viável entender quais são as possibilidades e escolher os melhor caminho para a empresa. Os objetivos podem ser baseados em quatro tipos de estratégias. São elas: crescimento, desenvolvimento, manutenção e sobrevivência. Abaixo, explicaremos cada uma delas.

4.3.1. Desenvolvimento

Objetivos de desenvolvimento permitem a potencialização da empresa e ajudam a melhorar a performance profissional. Entretanto, para que seja possível conquistá-los é preciso que tanto o ambiente interno quanto o externo sejam favoráveis, ou seja, que as forças e oportunidades sejam predominantes nos dois cenários.

Caso contrário, tentar alcançá-los pode trazer muitos problemas para o negócio, impedindo uma evolução futura e, em algumas situações, colocando em risco a sobrevivência da empresa.

Criar um produto ou serviço e conquistar uma nova parcela do mercado, são exemplos de objetivos de desenvolvimento.

4.3.2. Crescimento

Muitas oportunidades, mas falta de capacidade para aproveitá-las marcam o cenário ideal para os objetivos de crescimento. Nele, o ambiente externo oferece muitas possibilidades, mas a empresa tem fraquezas que impedem que elas sejam aproveitadas.

Desse modo, a organização precisa se fortalecer internamente para conseguir mudar de patamar e aproveitar as chances presentes no mercado em que atua.

Inovar, mudar processos de recrutamento e oferecer desenvolvimento profissional para os funcionários, são exemplos de objetivos de crescimento interno.

4.3.3. Manutenção

Os objetivos da empresa precisam estar direcionados para a manutenção quando o ambiente interno é favorável, mas o externo apresenta ameaças. Nessas circunstâncias, é necessário voltar os esforços para preservar os potenciais do negócio até que surjam oportunidades que permitam o desenvolvimento.

Manter o faturamento e não deixar de atrair clientes, são exemplos de objetivos de manutenção.

4.3.4. Sobrevivência

Em situações nas quais o ambiente externo apresenta muitas ameaças e a organização não está preparada para enfrentá-las, os objetivos estratégicos precisam estar direcionados para a sobrevivência do negócio.

Além disso, é essencial que eles sejam estabelecidos de forma cuidadosa para que a empresa se fortaleça rapidamente e possa superar os problemas externos.

Reduzir custos, alterar processos e, em casos mais graves, vender parte do negócio, são exemplos de objetivos de sobrevivência.

4.5. Estipule metas

Depois de estabelecer os objetivos estratégicos, é preciso criar metas que permitam alcançá-los. Elas devem ser como degraus que levam até a conquista desejada. Uma das formas mais eficiente de defini-las é o método SMART. Criado por Peter Drucker, ele diz que boas metas devem ser:

4.6. Determine ações

As metas não podem ser atingidas e os objetivos não podem ser alcançados sem que sejam implementadas ações. A partir das ações, grandes empresas conseguem manter uma agenda prática e produtiva. Por isso, é preciso determinar os movimentos que precisam ser feitos. A quantidade de atitudes não é relevante, mas elas precisam ser realizáveis, com um prazo para serem cumpridos e, dessa forma, produzirem um caminho em direção às metas.

4.7. Escolha indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho são imprescindíveis para que o planejamento estratégico seja bem-sucedido e contribua para a empresa alcançar objetivos. Eles permitem a verificação do andamento do plano e fornecem subsídios para fazer as correções necessárias. Os indicadores podem ser definidos a partir das seguintes regras:

4.8. Registre o planejamento

O planejamento, bem como os dados e conclusões obtidas no seu desenvolvimento, precisa ser registrado. Assim, as informações não se perdem e é possível ter clareza em relação ao que foi estipulado. O documento deve conter a missão, visão, valores, análise do ambiente interno e externo, objetivos e metas, por exemplo.

4.9. Comunique a estratégia

O planejamento estratégico precisa ser de conhecimento geral dentro da empresa, pois será um guia para as ações e decisões dos colaboradores na rotina de trabalho.

A forma de comunicação depende das características do negócio, mas é essencial que a linguagem seja clara e de fácil entendimento para todas as pessoas presentes na organização, independentemente do cargo ocupado.

4.10. Faça as alterações necessárias

É muito provável que sejam necessárias alterações no planejamento durante a sua execução. Questões como mudanças econômicas, inovações no mercado e transformações nos padrões de consumo podem tornar as metas inatingíveis e os objetivos obsoletos.

Nessas situações, é essencial que o plano seja corrigido para redirecionar a estratégia para o caminho correto e o desenvolvimento da organização não ser prejudicado.

5. O que não pode faltar em um planejamento estratégico?

Existem algumas questões que precisam de atenção para que o planejamento estratégico cumpra a sua função de proporcionar estabilidade e desenvolvimento para a organização. Confira as principais questões!

5.1. Estudo de Mercado

Sem um estudo cuidadoso do mercado é praticamente impossível conhecer o ambiente externo, entender as características da concorrência, identificar oportunidades para serem exploradas e detectar ameaças que podem prejudicar o presente e o futuro do negócio.

Por isso, é preciso obter o máximo de informações possíveis sobre ele no momento da análise do ambiente externo.

5.2. Perspectivas realistas

O desenvolvimento e a conquista de grandes feitos é importante para a evolução do negócio. Porém, para isso, a organização precisa ser sólida e estar preparada para superar desafios. Sendo assim, os objetivos precisam ser baseados em uma perspectiva realista para que os resultados sejam positivos.

5.3. Respeito às características do negócio

Cada organização tem particularidades que podem ser convertidos em desenvolvimento e lucros. Quando elas não são respeitadas na elaboração do planejamento estratégico, além de perder oportunidades únicas, os processos internos ficam confusos, afetando todas as operações da empresa, o que pode gerar consequências negativas para a imagem da empresa.

5.4. Consideração de vários cenários

Na análise do ambiente precisam ser consideradas as circunstâncias do presente e as perspectivas para o futuro. É necessário fazer um levantamento de dados que permita montar vários cenários, nos quais devem ser consideradas diversas questões, como possíveis mudanças econômicas e espaços para a entrada de concorrentes no mercado.

5.5. Atenção ao público-alvo

A elaboração do planejamento precisa considerar o público-alvo interno e externo, ou seja, as pessoas que formam a empresa e vão utilizá-lo para direcionar as condutas e atividades na rotina de trabalho e os clientes que a marca precisa atrair.

5.6. Determinação de prazos

No planejamento estratégico apenas a identidade da organização pode ser considerada permanente. Os demais itens precisam de prazos. Os objetivos devem ser de médio prazo, três a cinco anos, e as metas e ações de curto prazo, de três meses a um ano, por exemplo. A definição desses objetivos pode ser feita com a ajuda de um profissional de coaching que é especializado nisso. 

O planejamento empresarial proporciona diversas vantagens para a empresa e os colaboradores que fazem parte dela. No entanto, para ele ser eficiente é preciso ter clareza em relação a identidade organizacional e ser realista na definição de objetivos. Assim, é possível um crescimento consistente que resulte no sucesso do negócio e de todos os profissionais envolvidos.

Agora que você já sabe como fazer um planejamento estratégico, que tal conhecer as características de um gestor de sucesso?