. 5 dicas essenciais para controlar as emoções | Marcos Tito
  • Fortaleza: (85) 3108 8001

5 dicas essenciais para controlar as emoções

Como você lida com os seus sentimentos? Você consegue controlar as emoções e o que sente para tirar o melhor proveito de cada situação? Ou acaba perdendo totalmente as estribeiras, ficando à mercê do ambiente externo?

Ao contrário do que muita gente pensa, as emoções não são algo negativo. Pelo contrário, são muito benéficas e produtivas em muitos aspectos da vida. No entanto, é preciso desenvolver a habilidade de dominá-las para que a sua vida não vire uma montanha-russa.

Se você ficou interessado e quer saber mais sobre esse assunto, fique conosco e confira o que significa controlar as emoções e por que isso é tão importante. Além disso, separamos dicas interessantes para que você comece a alcançar seu controle emocional hoje mesmo. Acompanhe!

O que significa controlar as emoções?

Controlar as emoções pode ser uma expressão de difícil compreensão quando imaginamos a realidade em que a maioria das pessoas vive. Em ambientes altamente competitivos, estressantes e agitados, fica quase impossível acreditar que alguém tenha total controle do que sente, não é mesmo?

Porém, é importante entender que controle emocional não significa não reagir às coisas que acontecem durante o dia. Controlar as emoções não é sinônimo de apatia, mas, sim, de inteligência emocional

Por isso, esse conceito trata da capacidade que o ser humano tem de reagir conscientemente e escolher entre as melhores consequências com as quais terá que lidar. Isso é totalmente diferente de reagir “de cabeça quente” e piorar uma situação.

Entendido como funciona o controle emocional, é chegada a hora de compreender por que, afinal, esse comportamento é tão importante. Vamos lá?

Por que é importante ter controle emocional?

A forma mais simples de entender a importância de algo em nossa vida é reconhecendo a falta que isso nos faz. Portanto, é relevante saber que o descontrole emocional pode prejudicar sua vida sob diversos aspectos, tanto na vida amorosa quanto na profissional e social. Veja, abaixo, os principais malefícios provocados pela ausência de controle emocional.

Estresse excessivo

O descontrole e a supervalorização do estresse geram uma sobrecarga emocional muito forte em cada indivíduo, transformando-os em pessoas agressivas, raivosas, intolerantes e tristes, o que pode provocar transtornos graves, como depressão, TOC e outros.

Baixa produtividade

O domínio das emoções sobre uma pessoa faz com que ela se torne extremamente reativa às situações, sendo comandada por elas e deixando de fazer coisas importantes, com baixa produtividade.

Decisões precipitadas

Algumas emoções podem gerar influências bastante prejudiciais no momento de tomar decisões, em especial os sentimentos de tristeza, medo e raiva. Além disso, a angústia e a ansiedade tendem a ganhar espaço no dia a dia daqueles que permitem ser controlados pelas emoções.

Isso mina projetos profissionais, atrapalha relacionamentos amorosos, destrói relações familiares e afeta a autoestima. Por essas e outras razões é tão importante reconhecer o seu nível de inteligência e controle emocional para que seja possível desenvolver os aspectos necessários na sua vida.

Mas, como controlar as emoções?

Controlar as suas emoções não segue nenhuma receita de bolo. Ainda assim, existem alguns passos que podem facilitar sua jornada em busca de paz e equilíbrio emocional. Basicamente, essa caminhada consiste em:

Pode parecer um pouco complicado de início, mas é perfeitamente alcançável. E, para que você consiga se aproximar ainda mais do autocontrole emocional, é importante ir um pouco além e entender algumas coisas:

Com base nisso, vamos entender melhor cada um dos passos citados anteriormente. Confira 5 dicas para conquistar o controle das emoções!

1. Entenda suas emoções

É comum que, em algumas situações, as emoções relacionadas a uma situação sejam, na verdade, a expressão de uma crença interna. Por isso, é possível que a primeira reação inconsciente da sua mente seja acionar a sua autodefesa, fazendo com que você interprete negativamente uma atitude.

Quando você esbarra em alguém, por exemplo, pode acreditar que a pessoa fez de propósito ou simplesmente se negou a sair do seu caminho. No entanto, vários outros motivos podem ter ocorrido. A pessoa poderia estar distraída e nem ter visto você.

Por isso, é importante questionar se a emoção que você sente foi provocada por um fato ou por uma imaginação ou crença.

2. Interrompa o sentimento negativo

Interromper o padrão de emoções ruins é muito fácil. Em vez de ocupar sua cabeça justificando a sua raiva e estresse, é importante substituir esses pensamentos por perguntas que realmente sejam eficientes. Perguntar se a emoção provocada não é fruto de uma crença, como citado, é uma das formas de fazer isso.

Outra opção é simplesmente interromper tudo o que está fazendo e tentar olhar a situação de fora, como se fosse uma terceira pessoa. Nesse momento, cabe se questionar: se você fosse outra pessoa, como interpretaria a situação?

3. Desenvolva recursos positivos

Existem algumas sensações comumente agradáveis às pessoas, como o cheiro de terra molhada, o sabor do chocolate, o som dos pássaros. O mesmo acontece com as emoções. Para desenvolver recursos positivos, é importante construir uma lista mental de boas emoções, como:

O ideal é ter um momento específico que remeta a cada uma dessas emoções. Com esse arsenal, você terá uma série de recursos para acessar sempre que uma situação negativa acontecer. Assim, em vez de acionar uma emoção negativa, você puxa na memória uma emoção agradável.

Dessa forma, você reforçará para a sua mente quem está no controle das suas emoções, decidindo o que quer sentir.

​4. Confie na sua capacidade de autocontrole

Existem várias coisas sobre as quais não temos o menor controle. É preciso entender que não podemos controlar:

Entre todas essas coisas, existe uma sobre a qual podemos ter o total controle: nossas próprias emoções e a forma como reagimos a elas. Portanto, é preciso acreditar na capacidade que temos de decidir a forma como conduzimos nossos sentimentos.

5. Imagine a situação controlada

Poucas coisas têm mais poder de mudança na vida de uma pessoa do que um ensaio mental. Não é à toa que esse é o último passo no controle das próprias emoções. Depois das etapas anteriores, cabe imaginar a sensação de ter controlado as suas emoções em determinada situação.

Quanto mais ricos forem os detalhes, mais forte será a sua motivação para se manter focado no objetivo do autocontrole. Portanto, esse é um recurso importante para dominar as próprias emoções.

Agora que você já tem o mapa para controlar as emoções, é preciso colocar em prática. Tudo o que você precisa é exercitar esses passos no seu dia a dia. 

Se você gostou dessas dicas para controlar as emoções e quer ir além, conhecer seu estilo de comportamento, desenvolver inteligência emocional e otimizar a sua vida pessoal e profissional, entre em contato conosco e conheça a Mentoria Sênior!